Confira a importância da gestão contábil para as concessionárias

image

Como já deve ter percebido no seu cotidiano, a gestão de concessionárias é um desafio complexo e que exige múltiplas competências para entregar bons resultados. Com isso em mente, elaboramos este post especial para discutir sobre uma dessas abordagens, que é cada vez mais importante para a saúde do seu negócio.

Pois, hoje, falaremos sobre a gestão contábil, explicando todas as curiosidades sobre o conceito e demonstrando sua importância no controle financeiro da sua operação. Portanto, não perca a oportunidade de refinar as suas noções sobre o tema, acompanhando esta leitura!

A gestão contábil para concessionárias

Logo de início, é importante entender o que é essa tal de gestão contábil. Da forma como percebemos, essa é a metodologia gerencial que se dedica à análise dos valores, estudo dos cenários e tomada de decisões estratégicas. Para entregar esses objetivos, esse é o módulo da gestão que fica encarregado por sua contabilidade.

Ou seja, é por meio da equipe e das ferramentas dessa gestão que se torna possível acompanhar alguns indicadores de desempenho operacional, principalmente quando falamos dos KPIs voltados à observação financeira, como liquidez, faturamento, rentabilidade, ticket médio e afins.

Sendo assim, o controle contábil desempenha um papel indispensável na gestão da concessionária, exercendo um impacto direto sobre as decisões, estratégias, planejamentos e métodos adotados. Inclusive, aqui vale destacar uma última ideia sobre esse conceito de gestão, a sua amplitude.

Diferente de outras abordagens, a gestão contábil restringe o seu campo de observação apenas à realidade objetiva dos números e resultados realizados pela concessionária — assim como alguns cenários de projeção, que compõem relatórios e ajudam a decidir algumas questões.

Por essa razão, essa não é a área ideal para quem deseja entender e traçar uma visão sobre o mercado automotivo — já que esse tipo de reflexão é muito mais compatível para as equipes e recursos no gerenciamento de marketing, redes sociais e captação de clientes.

O funcionamento da gestão contábil

Agora que você conhece o conceito, é momento de entendê-lo na prática. Em um todo, a gestão contábil se divide entre as várias obrigações comuns na rotina de um profissional da contabilidade. Veja só!

Acompanhamento das modalidades e práticas tributárias

Um dos maiores objetivos dessa gestão é garantir a redução do peso tributário sobre os resultados da sua atividade. Para isso, os profissionais da sua equipe aferem o faturamento realizado pela empresa em períodos anteriores e estudam diferentes cenários de enquadramento tributário, os regimes.

Basicamente, são essas modalidades que definem a percentualidade e a metodologia no pagamento de impostos e tributos em geral sobre os resultados da sua operação. Por conta disso, é tão importante contar com uma equipe sólida na gestão contábil, já que eles são determinantes para simular e encontrar o regime que menos pesará sobre os seus resultados.

Realização de rotinas e burocracias fundamentais para a regularidade do negócio

Assim como uma boa equipe jurídica é crucial para garantir o desembaraço de problemas e situações com a lei, uma equipe contábil se dedica a garantir que a concessionária esteja operando e registrando seus resultados em conformidade com as normas de transparência e contabilidade.

Ou seja, essa gestão é fundamental para garantir a regularidade permanente do negócio, o isentando de qualquer paralisação das atividades por conta de sonegações ou incongruências nos balanços e resultados declarados à Receita Federal.

Estudos, simulações e fundamentação estatística para as suas decisões

Por último e talvez mais importante, o peso estratégico da contabilidade sobre as decisões que realmente importam. Pois veja, são justamente os indicadores da contabilidade que apontam para a saúde econômica da sua operação, oferecendo um diagnóstico preciso e constante sobre a sustentabilidade do seu negócio no mercado.

Afinal, na ausência de bons relatórios, KPIs, projeções e cenários a sua operação estaria vulnerável ao acaso, pois não existiria nenhum parâmetro indicativo do retorno financeiro das suas estratégias de marketing, promoções, sazonalidade ou por aí adiante.

A importância da gestão contábil

Por conta de tudo que explicamos, a nossa conclusão é de que a gestão contábil é um conjunto de competências fundamentais ao diagnóstico e à manutenção econômica da sua concessionária, de modo que operar sem contabilidade é, essencialmente, trabalhar sem nenhuma perspectiva de resultados — sejam eles bons ou ruins.

No entanto, isso não é o bastante! Da forma como percebemos, não apenas a gestão contábil é importante para o funcionamento da concessionária, mas também a qualidade técnica dessa gestão. Afinal de contas, esse é o tipo de área tão importante para o negócio que a sua má implementação acaba prejudicando mais do que ajudando.

Por essa razão, não basta apenas formular um time de especialistas e deixar a equipe solta, livre de orientações. Em nossa visão, um dos pontos mais importantes aqui é fornecer as ferramentas adequadas para que essa equipe desempenhe um trabalho de qualidade, operando com baixo custo e com a maior agilidade possível.

É justamente aqui que surgem os sistemas dedicados à gestão das concessionárias — com um foco sobre a contabilidade. A grosso modo, um bom software compila uma série de funcionalidades que simplificam o cotidiano da sua equipe, automatizando a produção de relatórios e eliminando tarefas e procedimentos redundantes nos seus processos.

Como em um efeito cascata, toda otimização incrementada sobre a contabilidade da sua operação acaba sendo refletida na observação dos seus resultados, uma vez que a produção de relatórios é cada vez mais ágil, intuitiva e integrada com os objetivos da concessionária.

O método de realização

Resumidamente, a gestão contábil se foca na realização de alguns procedimentos-chave para o funcionamento da sua concessionária. O primeiro e mais importante é a própria escrituração contábil, uma rotina de práticas que registra e acompanha a variação patrimonial da empresa, garantindo que os balanços são feitos de maneira transparente para elaborar DREs (Demonstração do Resultado do Exercício) que sejam condizentes com a realidade do negócio.

Já em um segundo momento, essa área também se debruça sobre as questões trabalhistas e previdenciárias, pois a escrituração é determinante para garantir que essas obrigações sejam honradas, impedindo qualquer entrave burocrático que possa prejudicar a concessionária.

Por fim, destacamos a automatização de processos e padronização de etapas e informações. Claramente, essa é uma parte que só é possível por conta do auxílio informático de um bom software de gestão contábil, que seja capaz de trabalhar de maneira inteligente e ágil com o volume de informações do seu negócio.

Por conta disso, entendemos que essa é uma gestão que deve ser baseada em dois pilares básicos, porém complementares. O primeiro é a especialização. Afinal de contas, a legislação tributária, trabalhista e previdenciária brasileira está sob constantes alterações, exigindo atualização e expertise técnica da sua equipe de contadores.

Até porque é esse tipo de contextualização que faz com os profissionais estejam antenados nas últimas alterações do segmento, estando, portanto, aptos a sugerirem a transição para outros regimes tributários, modalidades e estratégias que resultem no corte de gastos.

Já em um segundo momento, destacamos o pilar tecnológico. Em plena era digital, não há como ser competitivo sem estar mergulhado em informática aplicada, justamente por todos os benefícios operacionais de eficiência e velocidade que essas plataformas oferecem.

Para isso, é importante que a comando-geral da concessionária tenha consciência do impacto positivo dessas soluções à produtividade do negócio, e assim, opte pelo investimento na contratação de softwares dedicados ao acompanhamento e gestão dos resultados e volumes, sejam para controlar as finanças, o estoque, o CRM ou afins.

Os erros mais comuns

Lembra o nosso comentário sobre o impacto de uma gestão ruim? Então, o nosso objetivo é justamente frisar que essas consequências são muito maiores do que você pensa. Mas para que você não fique desamparado nessa ideia, reunimos aqui os principais erros na contabilidade, jogando uma luz sobre tudo aquilo que deve ser evitado. Veja!

Negligência, transgressão ou omissão de informações

Em nossa experiência, não somente a contabilidade, mas toda a gestão de negócios deve ser uma prática de constante transparência. Por conta disso, todo tipo de prática escusa é, em nossa opinião, um ato prejudicial para a sustentabilidade da empresa no longo prazo.

Aqui, falamos principalmente da omissão seletiva de resultados que comumente integra as rotinas de uma sonegação fiscal. Entendemos perfeitamente que o peso tributário pode desestimular o empreendedor em busca de grandes resultados, mas é fundamental que se entenda a importância de jogar esse jogo conforme suas regras.

Afinal de contas, é justamente disso que se trata a elisão fiscal, a prática que se dedica a estudar os melhores regimes e condições tributárias, adequando os seus resultados a essa modalidade específica para assim, pagar menos impostos, com o devido amparo legal, sem transgredir nenhuma regra ou condição tributária.

Ausência de planejamento

Da forma como percebemos, a falta de planejamento tributário não apenas é um erro, como também uma prática que gera uma série de consequências negativas. O fator mais imediato a esse problema é a falta de previsibilidade operacional, uma vez que o planejamento se dedica justamente a isso.

Em um segundo momento, a falta de simulações adequadas sobre a performance dos resultados acaba fazendo com que a sua equipe tome decisões ruins, sem nenhum fundamento estratégico. Em nossa visão, a pior das decisões é quando se escolhe um regime tributário ruim, arcando com uma carga tributária desnecessariamente grande para a sua operação.

As consequências de uma gestão ruim

De fato, existem áreas que não podem ser muito acompanhadas pela previsibilidade, tal como as táticas de conversões à sua concessionária. No entanto, esse não é o caso das rotinas contábeis, que conta com um volume de informações bom e consistente o bastante para desenhar cenários e projeções de resultados futuros.

Entretanto, a previsibilidade é justamente um reflexo positivo da boa contabilidade — o que faz sua ausência ser uma consequência negativa da má gestão. Afinal, como destacamos acima, a própria falta de planejamento acaba minando a capacidade da sua equipe entender os resultados atuais e projetar isso ao futuro.

Outra consequência que vale ser destacada é a perda de produtividade, quando comparamos com uma equipe de boa gestão. Normalmente, isso acontece por uma negligência do comando adotar tecnologias nas rotinas de trabalho. Então, como não há automatização, otimização e corte de etapas desnecessárias, a operação trabalha de maneira inflada, com mais processos desnecessários e menor velocidade.

O impacto de um software na redução dos gastos

Como toda boa abordagem tecnológica, o objetivo de um software aplicado é descomplicar a gestão da sua concessionária, integrando os vários departamentos, simplificando a leitura de informações, o acompanhamento de estatísticas e a tomada de decisões.

É por conta disso que existe um nicho específico no desenvolvimento de tecnologias nesse ramo, o DMS — Dealership Management System, os sistemas de gerenciamento de concessionárias, em uma tradução livre. Basicamente, o objetivo primário de uma plataforma DMS é eliminar tarefas repetitiva e manuais, agregando velocidade à tabulação e acompanhamento dos dados.

Outro objetivo, mas sobretudo, diferencial de uma boa plataforma é oferecer um painel multidisciplinar, integrando todas as competências e departamentos fundamentais à gerência da concessionária. Ou seja, apenas um software, com o controle e monitoramento específico sobre a área contábil, fiscal, financeira, CRM, de compras e do estoque.

Por fim, tudo isso se soma para alavancar a eficiência operacional dos seus colaboradores, que após familiarizados com a ferramenta, conseguem trabalhar com mais agilidade e comunicação entre os diferentes setores, eliminando ruídos de comunicação e garantindo a consistência das informações em todos os departamentos.

Como resultado, a gestão da concessionária observa que a soma desses fatores acaba implicando diretamente na redução de custos operacionais, já que um bom software promove o enxugamento operacional das suas tarefas, exigindo menos tempo para que as coisas sejam feitas — além de garantir a confiabilidade técnica e em tempo real sobre os resultados da operação.

Inclusive, é por esse motivo que o convidamos a conhecer a nossa solução para a sua atividade. Pois caso não saiba, a Sisand é uma desenvolvedora referencial na estruturação de tecnologias para a gestão no mercado automotivo, sendo inclusive reconhecida pela Honda como uma das plataformas licenciadas à sua rede de concessionárias.

Portanto, não perca a oportunidade de levar essa produtividade para o seu campo de atuação. Entre agora em nosso portal e conheça o sistema Vision, exclusivamente dedicado ao gerenciamento e alavancagem dos seus resultados!

Mais notícias